top of page

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ministério da Saúde lança campanha nacional contra dengue, Zika e Chikungunya

O Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (4), uma campanha nacional de combate às três arboviroses: dengue, Zika e Chikungunya, após o aumento dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Com a mensagem “Brasil unido contra a dengue, Zika e chikungunya”, a campanha tem como objetivo alertar a população sobre sinais, sintomas, prevenção e controle das doenças.


De acordo com Alda Cruz, diretora do Departamento de Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde, o Brasil tem registrado epidemias sucessivas de dengue, com intervalos cada vez mais curtos entre os surtos, enquanto Zika e Chikungunya também se mantêm com taxas endêmicas ao longo dos anos.


Dados do Ministério da Saúde indicam que, de janeiro a abril deste ano, houve um aumento de 30% no número de casos prováveis de dengue em comparação com o mesmo período de 2022. As ocorrências passaram de 690,8 mil para 899,5 mil neste ano, além de 333 óbitos confirmados. Os estados com maior incidência são Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Acre e Rondônia.


Em relação ao chikungunya, foram notificados 86,9 mil casos da doença de janeiro a abril deste ano, com taxa de incidência de 40,7 casos por 100 mil habitantes, um aumento de 40% em relação ao mesmo período de 2022. Este ano, até o momento, 19 óbitos foram confirmados. As maiores incidências da doença estão no Tocantins, em Minas Gerais, no Espírito Santo e em Mato Grosso do Sul.


Os dados de Zika indicam que, até o final de abril, foram notificados 6,2 mil casos da doença, com taxa de incidência de três casos por 100 mil habitantes. O país registrou 1,6 mil ocorrências de Zika no mesmo período de 2022, o que representa um aumento de 289%. Até o momento, não houve óbitos pela doença. Os estados com maior incidência são Acre, Roraima e Tocantins.


Para combater as arboviroses, foram investidos mais de R$ 84 milhões na compra de insumos para o controle vetorial do Aedes aegypti. Popularmente conhecido como fumacê, um dos inseticidas usados no controle do mosquito na forma adulta, será distribuído ao longo das próximas semanas após atraso no fornecimento causado por problemas na aquisição pela gestão passada, segundo o ministério. A expectativa é que a pasta receba cerca de 275 mil litros do produto ainda neste mês, normalizando o envio aos estados e Distrito Federal.


Os sintomas de dengue, chikungunya e Zika são semelhantes e incluem febre de início abrupto acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza,


Comentários


VEJA TAMBÉM

bottom of page