ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1/1

Grêmio põe em prática plano de enxugar o elenco para Felipão e diminuir folha salarial


Desde a chegada de Felipão, o Grêmio trabalha para enxugar o elenco a pedido do técnico. De quebra, mira diminuir a folha salarial. O meia Everton, o goleiro Paulo Victor e o lateral Victor Ferraz já treinam separado do grupo enquanto buscam novo clube para atuar. Em outra ponta, alguns jovens retornaram para a equipe sub-21.


Atualmente, o Grêmio gasta próximo dos R$ 14 milhões mensalmente com seus jogadores. E pretende reduzir em pouco mais de R$ 2 milhões esse montante.


"Temos uma situação de previsão orçamentária, pode baixar ou aumentar, mas estamos em uma média um pouquinho acima do que prevíamos. Vamos chegar ao final do ano equilibrados", comentou o presidente Romildo Bolzan Júnior em live com torcedores.


Léo Chú, por exemplo, pode deixar a equipe. Ele foi usado em somente dois dos quatro jogos do Tricolor com Felipão. O Fluminense tem interesse no atacante, embora o Grêmio não confirme que tenha sido procurado nem planeje negociar o jogador. Darlan e Jhonata Robert também têm possibilidade de sair.


Já Rodrigues tem sondagens de fora do país e sabe que as chances são pequenas para a temporada. Mas o Grêmio havia recusado emprestá-lo e quer uma venda definitiva.


Trio fora dos planos e jovens


O trio Paulo Victor, Everton e Victor Ferraz treina em turno diferente ao elenco principal, conforme já havia informado o vice de futebol Marcos Herrmann após o Gre-Nal. O goleiro, aliás, tem em andamento uma negociação para rescindir o vínculo, que vai até o fim de 2022.


Ferraz tem contrato até o fim da temporada, enquanto o de Everton se encerra no final do próximo ano. O meia-atacante tinha como intenção deixar o Grêmio na atual janela e jogar fora do Brasil.


Outros jovens retornaram ao time de transição para atuar com frequência, como o centroavante Elias, o meia Pedro Lucas e o zagueiro Emanuel. Tudo isso para diminuir o elenco a pedido de Felipão, embora não haja impacto na folha salarial.


Pedro Lucas se reuniu com a diretoria para tratar da situação. O Grêmio alega que, apesar de toda reconhecida qualidade técnica, ainda falta evolução física para o meia aguentar jogos mais intensos. O meia pode, inclusive, buscar um empréstimo no mercado para atuar com frequência.


"O Grêmio trabalha a ideia de fixar um plantel de 30 jogadores, no máximo 33. Não mais ter 40, 42. Fechar o plantel neste volume é o mais importante neste momento, não ter jogadores em excesso. Há muitos retornando para a transição, alguns serão emprestados, disponibilizados, depende de cada situação de negócio", esclareceu Romildo.


Depois da queda na Sul-Americana, o Grêmio volta as atenções para o Brasileirão. No sábado, tem confronto direto com o América-MG, na Arena, a partir das 17h, para tentar dar mais um passo contra o rebaixamento.


Fonte: ge




VEJA TAMBÉM