ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1/1

Grêmio elege preferência, avança por Tiago Nunes e também organiza estrutura do futebol


Se há uma fila para ser o próximo técnico do Grêmio, lá está Tiago Nunes na ponta. O ex-comandante do Corinthians é o preferido do clube gaúcho neste momento. A ideia não é avançar por um estrangeiro, caso de Guillermo Barros Schelotto, levado ao Tricolor por empresários. A diretoria também tem a intenção de fechar o organograma do futebol nos próximos dias.


O cenário ideal prevê a estruturação do departamento antes do acerto com o novo técnico. Assim, o profissional já chega com um vice-presidente de futebol definido, diretores escolhidos e até eventualmente um executivo. Mas os contatos com Tiago Nunes já começaram.


Ano passado, Tiago Nunes já havia sido elogiado em determinados momentos de mais pressão a Renato. Odair Hellmann, atualmente na Arábia Saudita, chegou a ser consultado como uma espécie de plano B. Diego Aguirre também é um nome levado ao clube, como foi Schelotto. Lisca foi outro nome que circulou durante a quinta-feira.


Esse cenário de construção já esteve traçado no pronunciamento do presidente Romildo Bolzan, que após agradecer o ídolo Renato Portaluppi, citou a intenção de "organizar" as coisas internas do Grêmio nos próximos dias.


A previsão dada pelo presidente para anunciar um novo profissional é de na próxima semana. Tiago é nome que circula nos bastidores do Grêmio como um técnico de qualidade e perfil que agrada há mais tempo.


"O Grêmio já está examinando situações de uma nova comissão e poderá fazer um anúncio a partir da semana que vem. O Grêmio agora tem um período para organizar sua situação", diz Romildo Bolzan.


Tiago Nunes inclusive já trabalhou no Grêmio, nas categorias de base, e treinou um dos expoentes do elenco gremista, o meia Jean Pyerre. Quando o clube gaúcho encarou o Athletico na semifinal da Copa do Brasil de 2019, os pais do jovem mostraram gratidão com o tratamento dado ao atleta no sub-15.


Ao mesmo tempo, o ambiente interno do futebol gremista está longe de uma terra arrasada. O ídolo sempre soube conduzir os pormenores da convivência. No momento, tanto elenco quanto áreas de inteligência estão sedentos por alta exigência, conforme ouviu o ge.


Agora, procura-se um perfil que una mais os departamentos internos do futebol e divida tarefas nos processos diários do clube. Além, claro, de trabalhar com os jovens da base sem medo.


A quinta foi de muita movimentação no Tricolor. Desde a madrugada, havia pressão para uma troca de comando. Pela manhã, o Conselho de Administração se reuniu para tratar do tema. Renato pediu para sair do comando em conversa com o presidente, que havia sido alvejado com argumentos para a mudança.


Em "comum acordo", Renato encerrou sua terceira passagem pelo Tricolor, com 411 jogos no comando — é o técnico que mais vezes dirigiu o Grêmio na história.


Fonte: ge

VEJA TAMBÉM