ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1/1

Erebango: confira as atividades em comemoração ao aniversário do município no último fim de semana


Promover a saúde e oferecer possibilidades de orientação, exames e conversa com profissionais, com foco na prevenção. Esses foram os principais objetivos da Feira Municipal de Saúde realizada neste sábado, 9, no Salão Paroquial de Erebango.


O evento, promovido pela prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, integrou a programação de aniversário do município que celebra na segunda-feira, 34 anos de emancipação político-administrativa.


Durante a manhã e tarde, a comunidade teve acesso facilitado às diferentes áreas e serviços. Múltiplas oportunidades para cuidar do bem mais precioso, a saúde.


Ao todo foram contabilizadas 47 triagens auditivas pela Plena Centro Auditivo, sendo que 12 sinalizaram alteração e precisaram de encaminhamento; 107 atendimentos de Enfermagem – verificação de pressão arterial, teste de glicemia e outros testes rápidos; 83 atendimentos das Práticas Integrativas e Complementares; 48 de Fisioterapia e Fonoaudiologia; 90 exames de acuidade visual, sendo que, destes, 40% registraram dificuldade visual e foram encaminhados para avaliação. Do mesmo modo, os organizadores informam que 31 doses de vacinas foram aplicadas, a Pastoral da Saúde comercializou 41 itens, e, ainda, diversas avaliações odontológicas promoveram o cadastramento para viabilizar 16 próteses - total ou parcial (ponte).


Objetivos foram atingidos

A secretária de Saúde e Assistência Social, Claura Araldi, enalteceu que o evento cumpriu com seus propósitos e quem passou pelo local, recebeu orientações e sentiu-se grato pela oportunidade.

“Vários serviços foram oferecidos e ficamos felizes em promover algo especificamente voltado ao cuidado e bem-estar da nossa população”, frisou.

Do mesmo modo, a coordenadora da UBS, a técnica de Enfermagem Cristiane Dallanora de Vargas, aproveitou para agradecer a toda população que compareceu na feira e à equipe que trabalhou por diversas semanas na sua organização.

“Gratidão define este dia. Após 23 anos, foi realizada uma nova edição e esperamos que agora se torne tradicional, afinal, prevenir é a solução”, acrescentou.
Contra a dengue

As agentes de saúde estiveram mobilizadas na orientação da população sobre a importância de cuidar seus terrenos e evitar água parada, espaços que podem se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue. Elas enalteceram que é essencial que cada cidadão faça a sua parte e mantenha o hábito de observar a limpeza de suas casas.


Assistência Social e Emater

As equipes da Assistência Social e Emater também expuseram seus trabalhos, ao lado de membros da Casa do Artesão, projeto que está sendo implementado no município.

“Desenvolvemos ações com os jovens para encaminhamento de documentos, que são essenciais para o acesso à várias áreas. Ao mesmo tempo, com os idosos, um dos aspectos é a carteirinha intermunicipal e interestadual – para quem não comprova renda e precisa integrar o Cadastro Único”, explicou a assistente social, Lerene Klaesener.
Nutrição

Glaucia Boeno, nutricionista que atua nas escolas municipais, comentou que a feira é uma oportunidade de falar mais sobre prevenção, especificamente de câncer, pois tem aumentado os casos e a alimentação equilibrada pode auxiliar para evitar essa e outras doenças.


Fonoaudiologia e Fisioterapia

A fonoaudióloga que atua na Unidade Básica de Saúde, Eliane Scariot, expôs um pouco mais sobre cuidados da voz, tendo em vista que, em 16/04 é celebrado o Dia Mundial da Voz.

“Entre as dicas importantes está o ato de não abusar da voz – não gritar; quando estiver com rouquidão, por exemplo, observar pelo período máximo de 10 dias e, após, caso persistirem os sintomas, o ideal é procurar ajuda profissional e evitar o uso de pastilhas anestésicas”, pontuou Eliane.

No mesmo estande esteve a fisioterapeuta Samara Vechiatto. Ela também atende na UBS e pode explicar sobre os materiais e aparelhos que estão à disposição, suas funções, e sobre o uso indicado de compressas quentes ou frias.


Amamentação

Daiane Uebel, doula, educadora perinatal e consultora da amamentação, ressaltou que não é normal uma puérpera sentir dor na amamentação ou ter fissuras mamárias, e isso pode estar envolvido com uma pega incorreta.

“O ideal é estimular para que o bebê vá até o seio da mãe e não o contrário. Da mesma forma, há várias posições para o momento especial da amamentação, que auxiliam em todo o processo e, ainda, com mais conforto para mãe e a criança. Em caso de dúvidas, a orientação é procurar o serviço de saúde do município."
Imunização

A Feira também disponibilizou um espaço exclusivo para vacinação. A técnica de Enfermagem, Rosimeri Cardoso, lembrou que teve início a campanha contra a Influenza, para idosos acima de 60 anos e profissionais de saúde.

“A adesão foi positiva nesta semana e aproveitamos para oferecer as doses contra a covid e, ainda, contra a tríplice viral aos profissionais de saúde e crianças de seis meses a menores de cinco anos”, mencionou.
Incentivos extras à qualidade de vida e bem-estar

Ao marcar presença na Feira, a fisioterapeuta Juselene Calgaro ressaltou que a Academia 237 completa em 2022, cinco anos de atuação no município, sendo que dois foram em pandemia, um momento delicado mas que reforçou a importância da atividade física.

“Muitas pessoas vêm nos procurar e nesse evento a ideia é ampliar a visibilidade do trabalho oferecido pela academia que conta com profissionais preparados para orientar e ajudar nos exercícios. Também temos outros projetos, tais como o grupo de Pedal, de corrida, promoção de eventos, a exemplo da corrida que acontece neste domingo, com estímulo, inclusive às crianças”, afirmou ao citar que a equipe faz a sua parte na promoção à qualidade de vida no município.

Alexandra Mazzoca atua na captação de doadores do Hemopasso. Ela declarou que a equipe se preocupa muito com a questão educativa em relação à doação de sangue, a fim de desmistificar vários aspectos relacionados a esse gesto nobre e que pode salvar muitas vidas.

“Passamos por diferentes momentos, envolvendo pandemia de covid-19, dengue e agora há muitos casos de pacientes com problemas respiratórios. Tudo isso diminui o número de doadores, então, quanto mais conseguirmos conscientizar a população saudável para que faça a sua doação, é muito gratificante”, frisou.
Confira a seguir outros relatos de participantes da feira
“Queremos agradecer à Secretaria de Saúde pelo convite e dizer que é um privilégio poder divulgar o trabalho da clínica no município, auxiliar as pessoas por meio do teste de acuidade visual e também disponibilizamos consultas, com encaminhamento da Secretaria, às pessoas que apresentarem dificuldades”, gerente administrativa da Clínica de Olhos Erechim, Alexandra Basso.
“O convite para participarmos da feira foi uma oportunidade maravilhosa. Foi algo muito bem organizado e bonito. Na ATMA, em Estação, trabalhamos com terapias integrativas e contamos com atendimento de psicólogas e psicoterapia reencarnacionista, que atua no tratamento psicológico, físico e espiritual”, Adriana Delavy, psicóloga e psicoterapeuta.
“Já temos uma parceria com a prefeitura, recebemos muitos pacientes na Plena Centro Auditivo e a vinda para Erebango foi repleta de expectativas, pois aguardávamos para estar novamente em feiras. Estar no município, levar conhecimento e fazer uma triagem audiológica, é muito positivo. Muitas vezes são cuidados simples, tais como: não usar o cotonete, melhores formas de cuidar do ouvido, atenção à cera, enfim, ações que fazem a diferença ao paciente”, Andréia Secco Araújo e Cassiane Dalla Rosa.
“É uma grande oportunidade para mostrar o meu trabalho, mesmo que tenha nascido e me criado no município, pois nem sempre há um acesso facilitado para que as pessoas possam conhecer o serviço. Acredito que seja um duplo benefício, tanto aos expositores como aos visitantes”, Claudia Maria Pocoieski.
“Quero agradecer imensamente, pois o povo de Erebango me acolheu com muita alegria, e fico feliz por ter participado, considerando que trabalho com saúde preventiva por meio de práticas integrativas, em especial, com o Reiki, onde é analisado o corpo, a mente e o espírito, além do uso de pedras, cristais, a auriculoterapia, psicoterapia, massoterapia, florais, entre outras técnicas”, Nilva Marcante.

À tarde, o Show de Talentos com o NeneLive, conduziu munícipes ao palco para que pudessem demostrar suas habilidades e apreço pela arte da música.


Feira é marcada pelo retorno das atividades da Pastoral

A Feira Municipal da Saúde em Erebango, realizada no sábado (09), abriu espaço para que profissionais pudessem expor seus trabalhos. Com isso, um dos estandes foi dedicado aos membros da Casa do Artesão, projeto que está em desenvolvimento pela prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, com apoio da Emater.


Essa foi a primeira oportunidade de os artesãos mostrarem as habilidades e o apreço por cada detalhe das peças e produtos que encantaram os olhares do público.


Para eles, foi um passo muito importante nessa trajetória de empenho e busca pelo reconhecimento.


Aos 76 anos de idade, Maria Tereza Petry Hoppen, considera a Casa do Artesão um diferencial positivo e um suporte que agrega muito ao município.

“Há muitas pessoas com talento e criatividade, e é necessário conceder esse espaço a todos. Farei o possível para que seja uma entidade oficial, registrada e que possa ter continuidade”, enaltece a artesã que atua especialmente na atividade de pintura em porcelana, tela, madeira e outros materiais.

Maria Tereza recorda que, a partir da aposentadoria, buscou algo que pudesse lhe fazer bem e preencher o tempo que estava de “folga”. Segundo ela, foi na pintura a sua maior identificação.

“Para mim não é um trabalho, é divertimento. Um momento só meu, em que posso exercitar a criatividade e volto a atenção somente para a arte”, afirma a erebanguense.
Dois anos de dedicação à arte

Gelson Pac, de 42 anos, está animado com essa etapa de sua vida, em que pode se dedicar à arte com um novo estímulo que é a Casa do Artesão.

“Acredito que vai abrir muitas portas para nós, desde a divulgação até as oportunidades para compra de materiais”, ressalta.

Ele conta que seu ofício começou há dois anos, quando parou de trabalhar como pedreiro.

“Tinha todas as ferramentas e iniciei com a produção de facas, as quais já vendi até para o Rio de Janeiro. Depois me especializei aos poucos, comecei a lidar com a madeira reaproveitável e assim prosseguimos com o objetivo de melhorar cada vez mais”, declara, citando que todo processo é rústico, os desenhos são feitos à mão e têm o auxílio da lixadeira e do disco de cortar ferro.

Um dos itens que Gelson levou à feira é um balcão. O artesão relata que o tempo médio de produção é de três dias, com a secagem do verniz, uma etapa que é realizada por mais de três vezes.

“Tenho bastante pedidos e almejo ter um espaço melhor para conseguir desenvolver ainda mais a atividade”, acrescenta.

Quem passou pelo Salão Paroquial pode conferir diversas peças e itens que exaltam o potencial artístico dos erebanguenses.


Feira é marcada pelo retorno das atividades da Pastoral

Regina Glovacki participa da produção de xaropes, pomadas e diversos outros itens da Pastoral da Saúde. Ela está animada com a volta das atividades do grupo.

“Estava fazendo muita falta e as pessoas sempre nos pediam, principalmente, a Olina, o xarope de abacaxi, xarope para criança, vinho quinado, cristais de gengibre e itens à base de própolis. Agora poderemos fazer novamente e oferecer uma opção natural para prevenir e tratar problemas de saúde”, salientou Regina.

Quem também está envolvida nas práticas é Rosita Perret, servidora aposentada do município, que recorda o tempo em que cuidava de um horto junto ao Cras.

“Fazíamos o plantio, a colheita, era muito bom. Com a minha aposentadoria e o contato com pessoas como a Regina, optamos por trabalhar novamente com os produtos, organizar a sala e reativar a Pastoral”, reiterou, ao lado da extensionista da Emater, Doriane Damin, uma das apoiadoras do projeto.
“Há uma valorização do uso das plantas em conjunto e, ao mesmo tempo que produzem, fazem uso desses componentes, representando a vivência delas, o resgate à cultura e os hábitos tradicionais”.

Nesse primeiro dia de exposição dos produtos, o grupo da Pastoral da Saúde comercializou 41 itens.


Mais de 10 cidades representadas na corrida rústica e caminhada 237

Após um sábado voltado especialmente aos cuidados de saúde, esse domingo prosseguiu com o propósito de estimular a população local e visitantes, a seguir hábitos saudáveis, os quais refletem diretamente na qualidade de vida e bem-estar. Para tanto, foi realizada a 3ª Corrida Rústica e Caminhada – edição rural, com percursos de cinco e três quilômetros, respectivamente. A organização foi da 237 Academia & Pilates, com apoio da Prefeitura de Erebango, além de empresas e entidades parceiras.


A programação iniciou cedo e, aos poucos, os mais de 250 inscritos começaram a chegar no ponto de largada. Atletas de diferentes faixas etárias e vindos de várias cidades, além dos erebanguenses, estiveram reunidos e não esconderam a adrenalina em marcar presença no evento. Muito além do clima de competição, a ideia foi encontrar amigos, familiares e demonstrar os múltiplos benefícios a partir dos exercícios físicos.


Um dos aspectos que chamou a atenção neste ano foi a participação expressiva das crianças.

“Nossa ideia é despertar, cada vez mais, em crianças e adultos, essa rotina saudável com a prática de esportes e exercícios. Tentamos fazer a nossa parte na promoção da saúde no município e observamos que vem aumentando o interesse das pessoas, principalmente por caminhadas, buscando recursos, além de medicamentos para a melhora de problemas como diabetes, colesterol, osteoporose, entre outros”, destacou a fisioterapeuta e sócia-proprietária da 237 Academia & Pilates, Juselene Calgaro.

Profissionais da UBS de Erebango também acompanharam a programação, caso houvesse a necessidade de atendimento durante as provas.


Participação e pódio

Entre os participantes do evento estava Eloisa Meregalli Zancanaro, acompanhada do esposo Alexandre. Ela reiterou que essa foi mais uma forma de prosseguir seus cuidados de saúde.

“Costumo frequentar a academia pelo menos duas vezes por semana, além do pedal e isso ajuda muito no bem-estar e no tratamento de um problema de articulação”, comentou Eloisa que conquistou o quinto lugar em sua categoria.
Incentivo desde cedo

As irmãs getulienses Antônia e Joana da Silva Webber vieram acompanhadas da mãe Raquel para competir pela primeira vez.

“Recebemos um convite de amigos e as crianças gostaram, treinaram durante a semana, acordaram cedo hoje e estavam muito ansiosas para o evento. Considero muito especial esse interesse e nossa ideia é motivá-las”, enfatizou.

A classificação em todas as categorias poderá ser conferida na página da 237 Academia & Pilates.


VEJA TAMBÉM