ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1/1

Cemitério do Combate, em Erebango, irá sediar a geração e distribuição da Chama Crioula


Um momento histórico para reforçar a importância de um marco para a região norte e o Estado do Rio Grande do Sul. Desse modo está sendo organizado o evento de Geração e Distribuição da Chama Crioula 2021, que acontece na manhã deste sábado (11), no Cemitério do Combate, em Erebango. A oportunidade irá marcar, ainda, o início das comemorações alusivas ao centenário da Revolução do Combate, que será celebrado em 2023.


A programação, realizada pela Prefeitura de Erebango junto a 19ª Região Tradicionalista (RT), tem como patrono da Chama o tradicionalista, Aldo de Assis Ribeiro.


A solenidade


Durante a solenidade, que deve contar com a presença de autoridades e lideranças do Alto Uruguai, haverá recepção dos cavalarianos dos municípios de abrangência da 19ª RT e a distribuição da centelha da Chama Crioula.


A presidente da comissão organizadora, a secretária de Educação, Cultura, Desporto e Turismo, Milena Hoppen Zanata, ressalta que é fundamental registrar esse momento e sediar a abertura dos Festejos Farroupilhas em um local que marca a história do Estado. “As pessoas nem sempre recordam mas é de extrema importância termos um olhar especial para valorizarmos a nossa cultura. Na próxima semana haverá visitação de estudantes ao Cemitério do Combate. Uma oportunidade para resgatarmos o conhecimento sobre toda a luta por liberdade do povo rio-grandense”, comenta.


“Vivemos de boas lembranças do passado para construir um futuro melhor”


O prefeito de Erebango, Valmor José Tomelero, destaca que a Revolução de 23 criou um marco no local que ficou conhecido como Combate, o qual demonstra a luta por direitos e deveres. “O povo gaúcho sempre foi forte e batalhador e deixou seus reflexos na nossa comunidade. Para nós, o objetivo é deixar esse espaço sempre à disposição da população local e da comunidade regional, para que possamos manter essa história viva”, enaltece.

Tomelero enfatiza que é essencial lembrar e mostrar para as crianças do presente e do futuro, a importância das lutas por uma comunidade cada vez melhor. “Queremos identificar e mostrar a todos que a batalha teve uma função que gerou um símbolo e isso merece ficar marcado para o nosso município e para a história”, ressalta.


Quanto ao início da programação que irá marcar o centenário, o chefe do Executivo frisa que não é possível deixar de valorizar a data, reforçando o papel do espaço no município e da valorização da cultura.


Espaço para visitação


Do mesmo modo, vale mencionar que o Cemitério do Combate está sempre à disposição para visitas. “Aqueles que conhecem a história pela literatura, p

odem ter ali, o contato com o espaço escolhido como local que marca a Revolução”, acrescenta.


Conforme o prefeito, foi uma luta gaúcha e o propósito é fazer com que ela seja mantida.

“Iremos apoiar, como poder público, incentivando as entidades tradicionalistas, que sempre são parceiras e levam a história para outros rincões. Só temos a agradecer esse empenho de todas as pessoas que, de alguma forma, se envolvem nesse trabalho. Desse modo, a história é perpetuada. Sozinhos não fizemos nada e vivemos de boas lembranças do passado para que possamos construir um futuro melhor”, reitera Tomelero.

Mais sobre o patrono


Natural de Barros Cassal, na época distrito de Soledade, Aldo de Assis Ribeiro nasceu em 1940 e aos cinco anos de idade, mudou-se para Carazinho.


Sargento da Brigada Militar, desde os 12 anos de idade dedicou-se ao tradicionalismo gaúcho. Já atuou como patrão do CTG Galpão Campeiro, de Erechim, integrou a 19ª RT e a diretoria da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha.

VEJA TAMBÉM