top of page

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Brasil registra 53 casos de febre maculosa, com oito mortes confirmadas

O Brasil tem enfrentado um aumento preocupante no número de casos de febre maculosa, de acordo com os dados atualizados divulgados pelo Ministério da Saúde na terça-feira (13). Ao longo deste ano, foram registrados 53 casos da doença, sendo que oito deles resultaram em óbito.

Região Sudeste lidera o número de casos, e Santa Catarina concentra ocorrências na Região Sul

A Região Sudeste é a mais afetada, com 25 casos reportados, distribuídos entre o Espírito Santo (8), São Paulo (7), Rio de Janeiro (6) e Minas Gerais (4). Em seguida, a Região Sul apresenta um total de 17 casos, todos eles em Santa Catarina. No ano passado, Santa Catarina registrou 39 casos e dois óbitos relacionados à doença.

Aumento significativo de casos em 2022 e histórico no Rio Grande do Sul

No ano passado, o Brasil totalizou 190 casos de febre maculosa, sendo 119 deles na Região Sudeste, 46 na Região Sul, 4 no Nordeste, 1 no Centro-Oeste e outros 20 sem identificação de região. Ao todo, 70 mortes foram registradas. No Rio Grande do Sul, ao longo dos últimos 16 anos, ocorreram 15 casos da doença, mas nenhum resultou em óbito. O recorde de casos na Região Sul foi registrado em 2014, com 56 casos, sendo 51 deles em Santa Catarina.

Mortes em Campinas levantam preocupação

O Ministério da Saúde emitiu uma nota informando sobre três óbitos relacionados à febre maculosa em Campinas, estado de São Paulo. As vítimas estiveram presentes em um evento na Fazenda Santa Margarida, distrito de Joaquim Egídio, zona rural da cidade, no dia 27 do mês passado. Uma adolescente de 16 anos, que também participou da festa e apresentava sintomas suspeitos da doença, teve sua causa de morte relacionada ao quadro da febre maculosa, que ainda será investigado.

Ações do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde destaca que tem fornecido aos estados os antibióticos específicos recomendados para o tratamento da febre maculosa. Além disso, a pasta tem promovido a capacitação das vigilâncias regionais e divulgado diretrizes técnicas, recomendações de conduta para cuidados clínicos e materiais educativos de prevenção, tanto para pacientes suspeitos da doença quanto para a vigilância ambiental.

Febre maculosa: uma doença infecciosa com elevada letalidade

A febre maculosa é uma doença infecciosa que pode se manifestar em formas clínicas leves e graves, apresentando uma alta taxa de letalidade. A doença é causada pela bactéria do gênero Rickettsia, transmitida pela picada de carrapatos infectados. Os sintomas comuns incluem febre, dor no corpo e manchas avermelhadas na pele.

Recomendações do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde orienta que, caso ocorram sintomas compatíveis com a febre maculosa, como os mencionados anteriormente, é fundamental procurar uma Unidade Básica de Saúde para avaliação e diagnóstico precoces. A detecção precoce da doença é crucial para um tratamento eficaz e para evitar complicações graves.

Conscientização e prevenção

É fundamental que a população esteja consciente dos riscos da febre maculosa e adote medidas de prevenção. Evitar áreas com grande presença de carrapatos, usar roupas adequadas ao realizar atividades ao ar livre, aplicar repelentes e realizar uma verificação cuidadosa do corpo após exposição a áreas propensas a carrapatos são medidas essenciais para reduzir o risco de contrair a doença.

Monitoramento contínuo

As autoridades de saúde estão em constante monitoramento da situação, com o objetivo de identificar áreas de maior incidência e tomar medidas preventivas e de controle adequadas. A vigilância epidemiológica é fundamental para o acompanhamento e a resposta eficaz aos casos de febre maculosa.

Nesse contexto, é essencial que a população esteja informada sobre os sintomas, os riscos e as medidas de prevenção da febre maculosa, a fim de garantir uma abordagem adequada diante dessa doença infecciosa grave.



댓글


VEJA TAMBÉM

bottom of page