ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1/1

Análise de solo é indispensável para o aumento da produtividade; UNIDEAU oferece esse serviço


A agricultura possui um importante papel no desenvolvimento econômico e na segurança alimentar. Sendo assim, conhecer o solo antes de iniciar uma nova safra é fundamental para colher bons resultados. A principal ferramenta utilizada para avaliar com exatidão as características físicas e químicas, bem como as deficiências de uma determinada área agrícola, é a análise de solo, que ao ser bem realizada, possibilita a tomada de decisão quanto às técnicas de manejo.

“Diante de uma análise em mãos, podemos tomar decisões mais assertivas quanto a calagem e adubação química para elevar a produtividade e ter mais rentabilidade no negócio”, afirma o Departamento Técnico da Paludo Agronegócios.

A análise de solo representa também parte importante do planejamento na manutenção das culturas, tornando-se uma das principais ferramentas na agricultura, como explica o técnico agrícola da Olfar, filial Ipiranga do Sul, Diego Anibaletto Turella.

“A partir desses estudos é possível fornecer, com embasamento técnico e científico, dados sobre a disponibilidade de nutrientes e condições físicas para uma recomendação adequada de adubação por gleba e cultura”.

Ainda, segundo o sócio-administrador da Polo Agrícola, Selmar Esberse, a partir do resultado obtido, o produtor pode ajudar a proteger o meio ambiente, uma vez que aplica somente o necessário de fertilizantes, e reduz os custos de produção, “principalmente em anos como este de custo elevado dos insumos da base do plantio”.


Produtividade em números

Segundo o coordenador do departamento técnico da Vaccaro Agronegócios, Mauro Deon, alinhar tecnologia, genética e conhecimento do solo é garantia de bons resultados. Prova disso está registrado nas mais de 200 propriedades assistidas pela empresa.

“Pelo acompanhamento, recomendação de corretivos e fertilizantes, realizado com base em análises de solos, é gritante a diferença quantificada. No caso da soja houve incremento de 12 sacas por hectare, quando comparado a áreas sem correção de solo e manejo de plantas de cobertura”, comentou.

Nesse sentido, recomenda-se que a análise de solo seja realizada anualmente no período de entressafra, assim, não há impacto de perdas produtivas com a realização da prática de amostragem. Inclusive, no momento da coleta, é preciso atentar-se para que não haja contaminação da amostra e, consequentemente, resultado equivocado.


Pensando em orientar a todos, o Centro Universitário IDEAU (UNIDEAU), por meio do Laboratório de Solos São Francisco, elaborou um manual de coleta que está disponível para download no site da Instituição. Além disso, a própria equipe do Laboratório está disponível para orientar e sanar possíveis dúvidas.


Sobre o Laboratório

O Laboratório dispõe de sala de secagem e moagem, laboratório de processamento e laboratório de leitura, todos compostos por equipamentos de alta tecnologia. Hoje, é um dos 38 laboratórios da região sul do país com a certificação da Rede Oficial de Laboratórios de Análise de Solo e de Tecido Vegetal dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina (ROLAS), o que garante a qualidade e eficiência no trabalho realizado.


Atualmente, é realizada análise de química básica, química completa e análise física, com resultado em sete dias úteis. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 17h30min, e aos sábados das 7h30min às 11h30min.


Fonte: Imprensa UNIDEAU

VEJA TAMBÉM