ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Semeadura do trigo no RS avança nas regiões produtoras

Com as condições climáticas favoráveis, os produtores seguem com a implantação da principal cultura de grãos da estação, o trigo, que já atinge 74% da área prevista. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (25/06), em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), as previsões climáticas favoráveis para a cultura e as boas perspectivas de preços contribuem para o aumento da área cultivada.

Na regional de Soledade, foi retomada a semeadura após a normalização da umidade do solo. As temperaturas amenas e a insolação, associadas à umidade adequada do solo, favoreceram o crescimento e o desenvolvimento da cultura, que apresenta em geral boa sanidade e adequado estande de plantas. O plantio também avançou na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, onde, de maneira geral, a germinação e emergência das lavouras estão sendo boas, apresentando estande de plantas dentro do recomendado para a cultura. As primeiras áreas implantadas, já em fase de afilhamento, receberam adubação nitrogenada em cobertura. A sanidade das plantas até o momento é muito boa, sem ataque de pragas e doenças.

Canola - Na regional de Santa Rosa, principal produtora do Estado, as condições climáticas da semana favoreceram a retomada do plantio das últimas lavouras. A maior parte da área encontra-se em desenvolvimento vegetativo, com algumas lavouras já em fase de floração. A cultura apresenta desenvolvimento inicial bastante promissor, beneficiado pelas condições climáticas favoráveis durante o plantio e a germinação. Com dois mil hectares implantados, Giruá se destaca no cultivo da oleaginosa.

Aveia branca - A cultura segue com bom desenvolvimento na regional de Ijuí, principal produtora do Estado. A maioria das lavouras encontra-se na fase de alongamento do colmo e emborrachamento; algumas apresentam-se em estádio final de afilhamento e um pequeno percentual, em emissão da panícula, com bom número de espiguetas, caracterizando assim elevado potencial produtivo. As condições fitossanitárias muito boas, com baixo ataque de pragas e poucos sinais de lesões de doenças, têm dispensado controle até o momento.

Cevada - Na regional de Ijuí, houve um avanço significativo na implantação da cultura, aproximando-se do final da semeadura. As primeiras lavouras semeadas estão em estádio de afilhamento e apresentam pequenos sintomas de ataque de doenças – aparecimento de manchas foliares. As demais áreas estão em início de emergência. Na regional de Erechim, 70% da área está implantada. A maior área prevista nesta safra fica em Sertão, com dois mil hectares com a cultura de cevada.


CULTURAS DE VERÃO


Soja - Com a colheita encerrada, os sojicultores concentram a atenção na comercialização e no planejamento da próxima safra. As áreas ocupadas com soja na safra 2019-2020 dão lugar aos cultivos de inverno, a pastagens e plantas de cobertura do solo, tanto as semeadas quanto as espontâneas. Contratos de venda futura estão abertos, e os agricultores analisam a relação de troca para aquisição dos insumos da próxima safra. Com a divulgação no Plano Safra 2020-2021, iniciam as movimentações para preparo da documentação necessária ao encaminhamento dos financiamentos de custeio.

Milho - Em período de entressafra, os produtores planejam o próximo ciclo atentos ao lançamento do Plano Safra 2020-2021, que trouxe novas taxas de juros para o custeio das lavouras. O preço da soja, principal cultura concorrente por área com o milho no RS, é um fator que impacta na decisão do agricultor no momento de optar por um dos cultivos, e o indicativo é que as áreas com o cereal deverão manter-se estáveis para a próxima safra. O Programa Troca-Troca de sementes, coordenado pela Seapdr, atendeu 45.692 agricultores que fizeram pedidos para a safra e 5.627 para a safrinha em todo o Estado.

Arroz - Com o período da entressafra e os preços estáveis, os produtores demonstram-se satisfeitos com os rendimentos obtidos. Na regional de Pelotas, a maioria dos produtores aproveitou as restevas para o forrageamento dos bovinos de corte. Nas áreas com melhor condição de drenagem, é realizado o preparo antecipado para a próxima safra. Na regional de Porto Alegre, os produtores dedicam-se à limpeza e revisão dos maquinários; alguns fazem a incorporação superficial da resteva com uso de rolo-faca e/ou grade. No período, também são realizadas as coletas de amostra de solo para análise.


PASTAGENS E CRIAÇÕES


A última semana foi excelente para o crescimento de pastos. As pastagens perenes de verão, como tífton e campo nativo, reduzem a capacidade de rebrote, mas como ocorreu apenas geada fraca e as temperaturas foram amenas, continua o rebrote, ainda proporcionando pastejo de bovinos. Apesar da época, as pastagens de verão de campos nativos continuam ofertando volumoso. O clima da semana foi favorável para essas espécies, e a resposta em rebrote foi razoável.

Já os campos nativos nos Campos de Cima da Serra apresentam péssimas condições e volumes; resta apenas macega de péssima qualidade para os bovinos se alimentarem. A geada agravou mais ainda a situação dos campos naturais.

As condições climáticas da semana, com temperaturas amenas, boa radiação solar e ótima umidade do solo, favoreceram as pastagens de inverno formadas por aveia, azevém e trigo duplo propósito, apresentando excelente desenvolvimento, melhorando a atividade fotossintética e por consequência aumentando a área foliar e o volume ofertado. Na regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, em locais nos quais ocorreram maiores volumes e melhor distribuição de chuvas em maio, as pastagens de aveia foram diferidas com a retirada dos animais. Essas pastagens se recuperam e apresentam ótimo rebrote. Porém, as pastagens no geral ainda estão atrasadas; houve atraso na semeadura devido ao longo período de escassez de chuvas. Produtores continuam tendo cuidado com o pastejo das áreas de aveia, controlando a lotação de animais para evitar perdas de pasto por pisoteio.

Piscicultura - Nas regionais da Emater/RS-Ascar de Erechim, Ijuí e Santa Rosa, a boa quantidade de chuvas das últimas semanas melhorou e mesmo normalizou o nível das águas dos açudes. Na de Ijuí, o aumento do volume de água nos tanques possibilitou a despesca de espécies de carpas destinadas aos pesque-pague. É baixa a comercialização de pescado das espécies de carpas. Já na de Passo Fundo, as chuvas ainda não foram suficientes para reestabelecer o nível total de todos os reservatórios utilizados para a criação de peixes. Nesse período de entressafra, os produtores realizam adequações e manejo dos açudes para a próxima safra. Foi registrada a ocorrência de endoparasitas durante despesca em alguns tanques.

A elevação da temperatura em relação à semana anterior propiciou maior consumo de alimento. Os cuidados são redobrados no manejo de alevinos, devido às baixas temperaturas, ao fornecimento de ração para os peixes em horários determinados e suspensão nos períodos mais frios. Com a chegada do frio, as encomendas de alevinos estão suspensas, devendo ser retomadas somente na entrada da primavera-verão. Em Santa Rosa, foram elaborados projetos de microaçudes do convênio entre Prefeitura e Seapdr.




Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar


VEJA TAMBÉM

1212.png
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone Spotify

Radio Sideral Ltda. © Copyright 2020. Desenvolvido por Produuza Web