NOTÍCIAS VOLTAR

Prefeitura de Getúlio Vargas distribui 300 toneladas de calcário para 100 produtores rurais

Prefeito Mauricio Soligo participou da primeira entrega do produto a 20 produtores

16/03/2017 15:23:00
  getúlio vargas; prefeitura; desenvolvimento econômico; calcário;

Cem produtores rurais de Getúlio Vargas estão sendo beneficiados com a distribuição de calcário feita pela Administração Municipal, através da secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico, em parceria com a Emater. A Prefeitura adquiriu 300 toneladas do produto através do convênio firmado com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por intermédio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação. Os recursos são provenientes da Consulta Popular 2015 e o convênio objetiva a conjugação de esforços para apoio às cadeias produtivas e fomento agropecuário e visa a implementação de projetos de correção do solo que proporcionem aumento de produtividade nas propriedades rurais e, consequentemente, maior rentabilidade.

Os primeiros 20 produtores beneficiados receberam o calcário na manhã desta quarta-feira, 16 de março, na Comunidade Nossa Senhora do Caravágio. Participaram da entrega o prefeito Mauricio Soligo, o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ademar José Rigon, o chefe do escritório municipal da Emater Renato Mores e os extensionistas rurais da Emater Denise Luithardt Klitzke e Alencar Luiz Balestrin. Ao longo da semana, todos os beneficiados receberão o seu produto.

No momento da entrega aos produtores, o secretário Ademar Rigon explicou as responsabilidades de quem estava recebendo o calcário, entre elas a apresentação da análise do solo, efetuar a correção do solo dentro do prazo de 180 dias e aceitar a visita dos técnicos da Emater, que irão fiscalizar a aplicação do calcário. Ao receberem o calcário, os produtores assinam um termo de compromisso referente ao Convênio.

Segundo o prefeito Mauricio Soligo, esta é uma ajuda importante principalmente para o pequeno produtor, que muitas vezes não dispõe de recursos suficientes para investir na preparação do solo. “Desta forma, o município além de proporcionar economia ao agricultor que não vai precisar comprar esse produto, dá suporte para que ele possa preparar a sua terra”, enfatiza Soligo.